Trago o fado nos sentidos: memória e significado nos trajetos de uma canção nômade

Este projeto dá continuidade às pesquisas que vêm sendo realizadas sobre o fado. A nova etapa pretende abordar aspectos particulares, através de subprojetos conduzidos por participantes do MusiMid. Partimos da premissa de que a “canção das mídias” é elemento fundamental na cultura: entendida como processo comunicacional, aqui adotada pela linguagem musical. Em seu processo de transformação contínua, ou “nomadismo” (Zumthor), de modo a manter-se na paisagem sonora (Schafer), a canção expressa, informa, corrobora, apresenta traços da cultura da qual faz referência e à qual se vincula.

O fado, na mídia (disco e rádio, prioritariamente) revela-se como elemento privilegiado de análise, que pode responder a questões de natureza diversa, em suas interfaces. Tendo como base inicial o repertório discográfico difundido em programas de rádio selecionados, pretende-se analisar aspectos tais como: 1) as relações entre audiência e memória, a partir do repertório executado nos programas radiofônicos; 2) o impacto da permanência de fadistas portugueses no Brasil e a incorporação/criação de um fado “brasileiro” pelos portugueses; 3) o fado como elemento constituinte das histórias de vida e do cotidiano do português emigrado no Brasil e nos luso-descendentes.

Considerando-se uma investigação em colaboração internacional com pesquisadores do Instituto de Etnomusicologia – Centro de Estudos em Música e Dança – INET, propõe-se como resultados, dentre outros: 1) a de criação de banco de dados contendo a discografia mais representativa do fado, no Brasil, de modo a permitir uma análise comparativa com a portuguesa; 2) a promoção de um encontro científico, cujos resultados finais serão publicados em livro ou número especial de revista especializada.

Participantes envolvidos: Heloísa Valente, Marta Fonterrada, Mônica Rebecca F. Nunes, Ricardo Santhiago, Susana Ventura.