As Serestas Villa-Lobos e as composições e arranjos para o album Canção do amor demais: uma análise comparativa

Autores

  • Juliana Ripke Universidade de São Paulo

Palavras-chave:

Villa-Lobos; Tom Jobim; Seresta;. Bossa nova.

Resumo

As relações entre os compositores brasileiros Heitor Villa-Lobos (1887–1959) e Tom Jobim (1927–1994) são bastante comentadas e mencionadas em entrevistas e trabalhos acadêmicos. O presente trabalho pretende, portanto, fazer uma análise comparativa entre determinadas características e processos composicionais das Serestas do compositor brasileiro Heitor Villa-Lobos (12 compostas entre os anos de 1925-26, e 2 entre 1943-44) e as canções e arranjos feitos por Tom Jobim para o disco Canção do amor demais (Elizeth Cardoso, 1958) (considerado um dos marcos iniciais do movimento da Bossa Nova). Paulo Jobim, filho de Tom Jobim, declarou que os arranjos feitos por Tom Jobim para o disco Canção do amor demais são relativamente simples, mas caprichosos, “flertados com a música de câmara”. Ainda diz: “tem a ver com as Serestas do Villa, normalmente tocadas ao piano, que foram arranjadas em um disco do qual meu pai era fã” (Jobim, P. 2018). Desejamos que os resultados obtidos com as presentes análises possam revelar elementos que demonstrem a pregnância da música villalobiana em Tom Jobim.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Albuquerque, Joel. 2017. Simetria intervalar em Tom Jobim: Chovendo na Roseira, um legado de Villa-Lobos?. In: ENCONTRO INTERNACIONAL DE TEORIA E ANÁLISE MUSICAL, 4., 2017, São Paulo. Anais… São Paulo: USP.

Capa do disco de Jennie Tourel, com as Serestas de Villa-Lobos em versão orquestrada. Disponível em: <http://musicabrconcerto.blogspot.com>. Acesso em: 24/mai/21.

Capa do disco Canção do amor demais (Elizeth Cardoso, 1958). Disponível em: : 24/mai/21.

Garcia, Cláudia. 2011. O violão na canção de câmara brasileira: um estudo de seus aspectos musicais e simbólicos. Dissertação (Mestrado em Música). Belo Horizonte: PPGMUS/UFMG.

Garcia, Walter. 1999. Bim Bom: A contradição sem conflitos de João Gilberto. São Paulo, Paz e Terra.

Jobim, Antonio Carlos. 1993. Tom Jobim: depoimento. São Paulo, 20/dez/1993. Entrevista concedida ao programa Roda Viva. Disponível em: <http://www.rodaviva.fapesp.br/ materia/260/entrevistados/tom_jobim_1993.htm>. Acesso em: 21/fev/2021.

Jobim, Paulo. Entrevista concedida à Folha de São Paulo. 2018. Disponível em: < https://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2018/04/considerado-prologo-da-bossa-nova-cancao-do-amor-demais-completa-60-anos.shtml >. Acesso em: 21/fev/2021.

Picchi, Achille. 2010. As Serestas de Heitor Villa-Lobos: Um estudo de análise, texto-música e pianistamo para uma interpretação. 356 f. Tese (Doutorado) – Instituto de Artes, Universidade Estadual de Campinas. Campinas, São Paulo. Disponível em: < http://repositorio.unicamp.br/jspui/handle/REPOSIP/283932>. Acesso em: 21/abr/2019.

Ratner, Leonard. 1980. Classic music: Expression, form and style. New York: Schirmer Books.

Ripke, Juliana. 2018. Villa-Lobos e Tom Jobim: uma análise de influências. Revista Tulha, Ribeirão Preto, v.4, n.1, pp. 35-68.

Ripke, Juliana. 2017. “Tom Jobim e a Bossa Nova: uma análise comparativa de possíveis influências e conexões”. In III SIMPÓSIO VILLA-LOBOS. Anais do III Simpósio Villa-Lobos: novos desafios interpretativos. São Paulo: ECA-USP, v. 1, p. 1-20.

Salles, Paulo de Tarso. 2014. A concisão modernista da Seresta n.9 (Abril) de Villa-Lobos. Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, Brasil, n. 59, p. 79-96.

Salles, Paulo de Tarso. 2013. Villa-Lobos and Nationality Representation by Means of Pictorialism: Some Thoughts on Amazonas. In: PANOS, N. et al. (Org.). Proceedings of the International Conference on Music Semiotics, in Memory of Raymond Monelle. Edinburgh: The University of Edinburgh/IPMDS - International Project on Music and Dance Semiotics.

Salles, Paulo de Tarso. 2009. Villa-Lobos: Processos Composicionais. Campinas, SP: Editora da Unicamp.

Wisnik, José Miguel. 1983. O coro dos contrários, a música em torno da semana de 22. 2. ed. São Paulo: Duas Cidades.

Publicado

2021-05-27

Como Citar

Ripke, J. (2021). As Serestas Villa-Lobos e as composições e arranjos para o album Canção do amor demais: uma análise comparativa. MusiMid: Revista Brasileira De Estudos Em Música E Mídia, 2(1), 30-47. Recuperado de http://musimid.mus.br/revistamusimid/index.php/musimid/article/view/85

Edição

Seção

Artigos