Música e memória: A atuação das mulheres nos Cursos Latinoamericanos de Música Contemporánea (1971-1989)

Autores

  • Eliana Monteiro da Silva ECA USP
  • Amilcar Zani Universidade de São Paulo

Palavras-chave:

Compositoras Latino-americanas; Cursos Latinoamericanos de Música Contemporánea (CLAMC); Gênero; Música Erudita.

Resumo

Este artigo baseia-se nos dados parciais obtidos na pesquisa em andamento acerca da atuação das mulheres nas quinze edições dos Cursos Latinoamericanos de Música Contemporánea (CLAMC), que tiveram lugar em 5 países da América Latina entre os anos de 1971 e 1989, para pensar a questão de gênero em dois campos específicos: a música erudita e a América Latina. Iniciada em janeiro de 2020, tal pesquisa utiliza documentos originais organizados e disponibilizados pela compositora e musicóloga Graciela Paraskevaídis no sítio eletrônico www.latinoamerica-musica.net, com objetivo de corroborar com a recuperação de dados de compositoras, intérpretes, professoras e estudantes do gênero feminino invisibilizadas na maior parte das publicações que abordam a música erudita ocidental. Da mesma forma, o recorte enfocando o continente latino-americano busca enfatizar a importância deste - e dos CLAMC - para a construção de uma música erudita experimental e contemporânea com características próprias, em relação às metrópoles tidas como referência no Hemisfério Norte.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Baroncelli, Nilceia C. 1987. Mulheres Compositoras: elenco e repertório. São Paulo: Roswitha Kempf Editores.

___. http://mulheres-compositoras.blogspot.com/. Acesso em 25/07/2020.

Briscoe, James R. 1987 (Revisada e ampliada em 2004, incluindo CD com gravação das obras). Historical Anthology of Music by Women. Bloomington: Indiana University Press.

Campos Fonseca, Susan. 2012. “Los estúdios de género y música em España: retos y resistências”. Música y Educación: revista internacional de pedagogia musical, v. 25. N. 2. pp. 100-102.

Campos Fonseca, Susan; Nogueira, Isabel Porto (Org.). 2013. Estudos de gênero, corpo e música: abordagens metodológicas. Goiânia/Porto Alegre: ANPPOM.

Cascudo, Teresa; Aguilar-Rancel, Miguel Ángel. 2013. “Género, musicologia histórica y el elefante em la habitación”. Nogueira, Isabel Porto; Campos Fonseca, Susan. Estudos de gênero, corpo e música: abordagens metodológicas. Goiânia/Porto Alegre: ANPPOM, 27-55.

Citron, Marcia J. 1993. Gender and the Musical Canon. Cambridge: Press Sindicate of the University of Cambridge.

Dezilio, Romina. 2019. “Ge?nero, Poli?tica y Espacio: Estudio sobre la actuacio?n de Celia Torra? en el Teatro Colo?n de Buenos Aires como compositora y directora de orquestra”. Revista Música, vol. 19, n. 21, 197-219.

Fure, Ashley. GRID - Gender Research In Darmstadt: a 2016 Historage Project funded by the Goethe Institute. Disponível em: https://griddarmstadt.files.wordpress.com/2016/08/grid_gender_research_in_darmstadt.pdf. Acesso em 25/07/2020.

Juárez, Camila. 2014. “Popular music and the Avant-garde in Uruguay”. Vila, Pablo (Ed.). The militant movement in Latin America: Chile, Uruguay, and Argentina. Lanham: Lexington Books.

Lauretis, Teresa de. 1984. Alice doesn’t: Feminism, Semiotics, Cinema. Bloomington: Indiana University Press.

López, Pilar Ramos. 2003. Feminismo y Música: Introducción y Crítica. Madrid: Narcea, S.A. de Ediciones.

McClary, Susan. 1991 (Reprinted in 2002). Feminine Endings, Music, Gender and Sexuality. Minneapolis & London: University of Minnesota Press.

Mello, Maria Ignez Cruz. 2006. “Relações de gênero e musicologia: reflexões para uma análise do contexto brasileiro”. Revista Eletrônica de Musicologia/Electronic Musicological Review, vol. 11.

Monteiro da Silva, Eliana. 2011. Clara Schumann: compositora x mulher de compositor. São Paulo: Ficções Editora.

___. 2013. “Menina não entra? Reflexões sobre a hegemonia masculina na música erudita ocidental”. Anais eletrônicos do Seminário Internacional Fazendo Gênero 11 & 13º Women’s Worlds Congress. Florianópolis, ISSN 2179510X.

______. 2019. Compositoras Latino-americanas: vida, obre, análise de peças para piano. São Paulo: Ficções Editora. ISBN (E-book): 9788562226540. Disponível em: http://ficcoes.com.br/livros/compositoras_la.html. Acesso em: 25/05/2020.

___. 2019. Dossiê Temático “Bicentenário de Clara Schumann (1819-2019): uma reflexão sobre a atuação e a visibilidade das mulheres na música”. Revista Música vol. 19, n. 1. https://doi.org/10.11606/rm.v19i1.159663. Acesso em 25/07/2020.

Paraskevaídis, Graciela. 2009-2014. Cursos Latinoamericanos de música contemporánea: una documentación. https://www.latinoamerica-musica.net.

___. 2014. La presencia de la música electroacústica en los cursos latinoamericanos de música contemporânea. Disponível em: http://www.gp-magma.net/pdf/txt_e/sitio-CMMAS%20CLAMC.pdf. Acesso em: 25/05/2020.

Pendle, Karin (ed.). 2001. Women and Music: A History. Bloomington & Indianapolis: Indiana University Press.

Piñero Gil, Carmen Cecilia. 1998. “Compositoras Iberoamericanas” In Manchado Torres, Marisa (ed.). Música y mujeres, género y poder. ISBN 84-87715-68, 159-178. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/servlet/libro?codigo=793. Acesso em 25/07/2020.

___ 2008. “Música y mujeres, género y poder: diez años después”. In Itamar, revista de investigación musical: territórios para el arte, n. 1, ISSN 1889-1713. pp. 201-211.

Rádio Sentinela do Vale. 2020. Pesquisa da ONU diz que tem mais homens do que mulheres no mundo. Disponível em: https://www.radiosentinela.com.br/?pesquisa-da-onu-diz-que-tem-mais-homens-do-que-mulheres-no-mundo&ctd=5277. Acesso em: 25/05/2020.

Rosa, Laila & Nogueira, Isabel. 2015. “O que nos move, o que nos dobra, o que nos instiga: notas sobre epistemologias feministas, processos criativos, educação e possibilidades transgressoras em música. Revista Vórtex, Curitiba, vol. 3, n. 2, 25-56.

Sadie, Julie Anne; Rhian, Samuel (ed.). 1995. The Norton/Grove Dictionary of Women Composers. New York & London: W. W. Norton & Company.

Solie, Ruth A. 1993. Musicology and Difference. Berkeley: University of California Press.

Sperber, Roswitha. 1996. Women Composers in Germany. Bonn: Inter Nationes.

Straus, Joseph N. 1993 Music by Women for Study and Analysis. New York: Prentice-Hall.

Tramontina, Leonardo S. S. 2011. A apropriação dos discursos da New Musicology por três didáticas norte-americanas de ensino de histórias da música. São Paulo: Universidade de São Paulo.

Valdebenito, Lorena. 2019. “La vida y la muerte: Intertextualidad y representación de lo feminino em dos mujeres homenageadas por Violeta Parra”. Artelogie: recherche sur les arts, le patrimoine et la litératture de l’Amerique Latine, vol. 13. https://doi.org/10.4000/artelogie.2898.

Valdés, Alicia. 2005. Con música, textos y presencia de mujer: dicionario de mujeres notables en la música cubana. La Habana: Ediciones UNIÓN.

Publicado

2020-09-20

Como Citar

Monteiro da Silva, E., & Zani, A. (2020). Música e memória: A atuação das mulheres nos Cursos Latinoamericanos de Música Contemporánea (1971-1989). MusiMid: Revista Brasileira De Estudos Em Música E Mídia, 1(2), 104-115. Recuperado de http://musimid.mus.br/revistamusimid/index.php/musimid/article/view/33