Música, recepção e consumo cultural

A música pode considerar-se, desde o surgimento das mídias, como a linguagem mais presente na vida cotidiana, Pelos alto-falantes em toda parte, a paisagem sonora é permeada por signos sonoros que, à maioria das vezes, são eleitos por um número reduzido de pessoas – os agentes das companhias fonográficas (“majors”). Em que medida a escuta desse repertório interfere nos hábitos de escuta e no processo cognitivo, atribuição de sentido pelas mediações culturais guiam esta linha de pesquisa.